sábado, 25 de março de 2017

Fervilhando

          Já te aconteceu de participar de um curso de onde saísse fervilhando? Não sei contigo, mas comigo, antes, isso nunca acontecera... Até hoje! 


          Um dia desses apareceu em minha TL no face (sabe-se lá como, por essas magias eletrônicas internetísticas do tio Mark) uma oficina que chamou minha atenção. A "Oficina Criando Projetos de Leitura: o lúdico como instrumento pedagógico" na livraria Paulinas, em Porto Alegre. Resolvi de primeira que iria fazer. Às vésperas de iniciarem as aulas na faculdade, pensei que esta seria uma boa oportunidade de aprender e começar a entrar no "mundo mágico" da educação. Este mundo que, até o momento, só ouço falar, afinal, sou contadora por formação anterior.


          A oficina começou e aquele "mundo mágico" que eu já imaginava começou a tomar forma! Ao longo daquela manhã um novo horizonte foi se abrindo em minha mente (como diz o meu marido, uma mente que se expande nunca mais volta ao lugar de origem). Aqueles conceitos (abstratos) e imagens que nós normalmente temos começaram a se concretizar. O momento que eu mais lembro (e chego ainda a sentir em minhas entranhas) foi durante uma atividade em grupo que me peguei, literalmente, fervilhando por dentro, querendo participar e colaborar para a equipe, louca para expressar meus sentimentos, vontades, anseios e não encontrando as palavras adequadas. Fornecia ao grupo dicas daquilo que ansiava colocar para fora, mas que não conseguia exprimir em palavras. Naquele momento pensei: "Meu Deus, A-C-H-E-I!". Isto aqui é o início de um mundo, de um crescimento que, a partir da semana que vem, espero, será exponencial e sem retorno, amém! Agora minhas expectativas quintuplicaram...

          Ao final eu imaginei que aquilo era realmente uma semente plantada no fundo do meu ser. E, aí veio a última atividade que culminou em uma pequena árvore de papel. 



          
          Uma pequena árvore, seca, cheia de galhos, pedindo para que as folhas cresçam, que seja florida e que os frutos ramifiquem e amadureçam. Ah, quanto significado...


          A oficina foi ministrada pela escritora gaúcha Chris Dias. Gente, sério, que pessoa maravilhosa! A empatia que este ser humano demonstra e toda a paixão por este universo que foi repassada naquelas poucas horas que estivemos juntas foram contagiantes. Ela nem sabe o quanto me influenciou neste momento e esta semente que foi plantada, espero, gerará muitos frutos. Vai lá conhecer um pouco do trabalho dela. Ela é idealizadora do projeto "Kombina", arte móvel que se encaixa em qualquer ocasião! Virei fã!!! Bela maneira de começar uma nova carreira, não acham?!?
          

Nenhum comentário:

Postar um comentário